Pular para o conteúdo principal

Solitários acompanhados



Um rapper brasileiro formulou a seguinte pergunta em uma de suas composições: "Distância, meu amigo, não é vários quilômetros quadrados. Quantas vezes você está distante mesmo estando do lado?".

É verdade. Quantas pessoas estão juntas, porém, o aparelho celular mantém ambas com seus corações afastados? Uma das razões para que isso aconteça é o uso descontrolado de smartphones.

Na mesma proporção que existe o lado bom, também existe o lado ruim nos smarphones. É um excelente microcomputador de bolso, transmissor de vídeo, música. É um veículo compartilhador de fotos instantâneas de primeira qualidade. Sabemos que, sem dúvida, este dispositivo é uma maravilha da tecnologia moderna, pode ser considerado como uma varinha mágica, um tapete mágico. Cabe na palma da mão e estabelece a comunicação entre pessoas situadas em continentes diferentes, sem que para esta comunicação seja preciso fazer mais do que levá-lo ao pé do ouvido.

O que há de ruim? Dificulta o convívio caloroso do olho no olho, faz com que os usuários sejam incapazes de realizar uma conversa com início, meio e fim. É triste constatar que o smartphone é capaz de estragar o bom entrosamento das pessoas que estão próximas. Na atualidade, observamos o fato de tantos estarem fisicamente ao lado de alguém, sem que isto signifique estar realmente por perto. Por conta da disseminação de smartphones, é impossível contar o número de gente que se sente só, apesar de fazer parte do denso fluxo de vai-e-vem das multidões!

Por tamanha utilidade e fonte de prazer, o uso pode ser viciante! As oportunidades pontuais oferecidas por este aparelho compacto é capaz de transformar indivíduos psicologicamente dependentes crônicos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Arrisque-se! Arrisque-se?

Arriscar-se? Eu conheço dois tipos de riscos: o calculado e o incalculável.

No primeiro tipo você vai sabendo que pode chegar aonde quer e ser feliz lá, e se não conseguir alcançar o objetivo tem o controle do que pode perder com o resultado negativo. No segundo caso, tudo é uma aventura, o planejamento é mínimo ou nem existe, chegar aonde deseja é questão de sorte, e o custo por não chegar é tão grande que transforma a vida para muito pior do que era antes de a aventura começar, e às vezes as mudanças são irreversíveis.

Vídeo mostra o dia caótico de quem vive com depressão

Podemos definir a depressão. É uma doença curável.

Se você padece com este mal, busque ajuda.

 Sintomas? O vídeo mostra o dia caótico de quem vive deprimido. A enfermidade se caracteriza por mudanças no humor e pela perda de prazer em atividades.


A época de confraternização também é agora

É final de dezembro ou primeiro de janeiro. A mudança do velho calendário pelo novo causa uma gama de esperança por dias melhores e uma vontade de melhorar de vida, sentimento incomum em outros meses do ano. Isso é um fenômeno, que não é fácil explicar.
A face do cotidiano ressurge em força total em janeiro. As novas dívidas feitas para realizar as festas de Natal e Reveillon precisam ser pagas... Surgem os boletos de impostos: IPVA e IPTU. Vem outra vez fevereiro, março, abril, maio... E para não perder a alegria sentida durante as comemorações natalinas e celebração da virada de ano, para não esquecer a vontade de progredir, de correr atrás dos sonhos, precisamos manter dentro de nós as forças renovadas. 
E como fazer para manter-se renovado? Trazendo dentro do coração a bagagem de confraternização. Confraternizar-se é viver em harmonia; é a convivência usando bom trato; usar a camaradagem. Então, não se canse de refazer seus votos de paz, de amizade, ofereça sua atenção e carinho …